Personalizados
Personalizados
maragogi propagandas
NCN
NCN
NCN

Expectativa de vida dos alagoanos aumenta para 72 anos e sete meses, diz IBGE

Por Naldo Cerqueira em 26/11/2020 às 14:27:35
Mulheres vivem nove anos e meio a mais que os homens em Alagoas. Expectativa de vida dos alagoanos é de 72 anos e sete meses em 2019.

Arcevo/IBGE

A expectativa de vida de um alagoano aumentou em quatro meses na comparação entre os anos de 2018 e 2019. Com esse aumento, o tempo médio de vida de uma pessoa nascida em Alagoas subiu para 72 anos e sete meses em 2019. Os dados são das Tábuas Completas de Mortalidade para o Brasil, divulgadas pelo IBGE nesta quinta-feira (26).

A média de Alagoas é a sexta menor entre as unidades da federação. O estado só fica a frente do Amazonas (72,6 anos), de Roraima (72,4 anos), de Rondônia (71,9 anos), do Piauí (71,6 anos) e do Maranhão (71,4 anos). No Brasil, a expectativa de vida é de 76,6 anos.

Mulheres vivem mais que os homens em Alagoas

A pesquisa mostrou que a longevidade feminina no estado é, em média, nove anos e meio a mais do que a dos homens. Essa foi a maior diferença registrada em todas as unidades da federação. Em 2019, a expectativa de vida das alagoanas era de 77 anos e cinco meses e a dos homens, de 67 anos e nove meses.

De acordo com o IBGE, a expectativa de vida é um dos parâmetros para determinar o fator previdenciário, no cálculo das aposentadorias do Regime Geral de Previdência Social.

Taxas de expectativas de vida dos estados brasileiros

Arcevo/IBGE

Mortalidade infantil cai em Alagoas

O levantamento apontou que a mortalidade infantil em Alagoas caiu de 17,3 a cada mil nascidos em 2018 para 16,4 por mil em 2019. Com a queda, Alagoas ultrapassou as marcas do Amazonas e de Roraima no ranking nacional, pois os dois estados registraram taxa de 16,6 por mil.

O Espírito Santo é o estado a com menor taxa de mortalidade infantil, 7,8 óbitos a cada mil nascidos vivos Já o Amapá tem o maior índice entre os estados (22,6 por mil), atingindo quase o triplo de mortes do Espírito Santo.

A taxa de mortalidade infantil foi maior entre os meninos, 16,9 por mil, do que entre as meninas, 15,8 por mil.

O IBGE explicou que a meta dos objetivos do desenvolvimento sustentável (ODS) para o Brasil é de, até 2030, reduzir a mortalidade neonatal para, no máximo, 5,0 por mil e a mortalidade de crianças menores de 5 anos para, no máximo, 8,0 por mil.

Expectativa de vida dos brasileiros nascidos em 2019 é de 76 anos e 6 meses, segundo IBGE

Veja os vídeos mais recentes do G1 AL

A pesquisa mostrou que a longevidade feminina no estado é, em média, nove anos e meio a mais do que a dos homens. Essa foi a maior diferença registrada em todas as unidades da federação. Em 2019, a expectativa de vida das alagoanas era de 77aanos e a dos homens, de 67,9 anos.

Veja mais notícias da região no G1 Alagoas

Fonte: G1AL

Comunicar erro
LOTERIA MARAGOGI

Comentários

Personalizados