Personalizados

Gripe, 'tosse dos canis'... Saiba como prevenir doenças em cães durante o outono

Por Naldo Cerqueira em 24/03/2023 às 15:33:55
Veterinária explica os sintomas, o tratamento e como prevenir as doenças. Durante o outono, cães podem sofrer mais com doenças que afetam o sistema respiratório

Ascom SMS

As mudanças no clima que acontecem com a chegada do outono, estação entre o verão (mais úmido) e o inverno (mais seco), podem afetar a saúde dos cães. As doenças que atingem o sistema respiratório dos bichinhos são as mais comuns nessa época do ano.

Compartilhe no WhatsApp

Compartilhe no Telegram

O g1 conversou com uma médica veterinária, que explicou quais são os sintomas e os tratamentos adequados para as duas doenças mais comuns nessa época do ano: a gripe e a traqueobronquite, conhecida como "tosse dos canis".

Gripe

A gripe canina é causada pelo vírus influenza A. A veterinária Ágatha Fontan explica que, apesar de comum, os casos de gripe podem evoluir para quadros mais graves em alguns cães e, inclusive, levá-los a óbito.

"Às vezes a gente pensa que a gripe vai ser algo simples e auto-limitante. Mas, em alguns casos, o animal [que tem] a imunidade comprometida, idosos ou de focinho achatado [a gripe] pode evoluir para casos de pneumonia e até levar a óbito", explicou.

Os tutores precisam estar atentos aos principais sintomas, que são:

coriza

febre

tosse com secreção

"Tosse dos canis"

A tosse dos canis é causada pela associação entre bactérias e vírus, normalmente pela bactéria Bordetella bronchiseptica e o vírus da parainfluenza canina.

"A gente considera a tosse dos canis uma forma de gripe. Animais que frequentam creches e hotéis geralmente ficam mais aglomerados e podem disseminar a doença através da saliva, secreção ou até pelo ar", explica a veterinária Ágatha.

Os principais sintomas da tosse dos canis são:

tosse seca e persistente

coriza

febre

apatia

falta de apetite

Diagnóstico e tratamento

Os sintomas da gripe e da tosse canina podem se confundir, por isso Ágatha recomenda que os tutores sempre busquem um médico veterinário para fazer uma avaliação do paciente.

"A gente faz o diagnóstico de acordo com a clínica e institui o tratamento", explica.

Segundo Ágatha, geralmente o tratamento é feito com o uso de antitussígeno e broquiodilatador. Em alguns casos, é necessário o uso de antibiótico.

A veterinária ressalta que a melhor prevenção é a vacinação.

"A vacina é feita anualmente nas formas subcutâneas, intranasal ou oral. Em alguns casos, [a vacina] não vai impedir os animais de apresentar os sintomas, mas em 90% dos casos o animal vacinado só apresenta sintomas leves", explica Ágatha.

Assista aos vídeos mais recentes do g1 AL

Veja mais notícias da região no g1 AL
Comunicar erro
LOTERIA MARAGOGI

Comentários

Personalizados
TV